Posts com a Tag: #mãe de dois

Conversa Materna

Título do post

Na semana passada recebi um convite super legal, falar sobre ser mãe jovem no grupo fechado dos Calçados BIBI no face, conhece? http://bit.ly/grupominhavidaanda   Eu amo esse tipo de grupo onde podemos trocar nossas experiências e questionamentos. Foi tão gostoso conversar por duas horas com outras mães que resolvi copiar as melhores falas aqui por blog pois acredito que são parte do questionamento da maioria de nós. “A maternidade mudou completamente minha vida, meus caminhos, minhas escolhas e principalmente minha relação com tempo, com as prioridades. Foi muito complicado num primeiro momento entender e acolher esses sentimentos. Ser [...]

Entrevista Crescer

Título do post

“No meu meio, todas já estão ricas antes dos 27, para aí sim pensar em filhos. Fiz o caminho inverso”, diz Carolinie Figueiredo A aceitação foi uma das mudanças que a atriz vivenciou depois de se tornar mãe muito cedo. Hoje, ela diz que aprendeu a dar um novo significado ao conceito de realização. Em uma conversa sincera, ela desabafa sobre as dificuldades e as maravilhas de ter filhos. (Entrevista super deliciosa que dei pra Juliana Benetti  da Revista Crescer. Muito bom falar abertamente do que tenho pensado) Aos 18 anos, Carolinie Figueiredo estreou em Malhação, em 2008, como a personagem Domingas. Sua image [...]

Violência: Quebre esse ciclo

Sou de uma geração onde o uso da violência ainda era aceito como forma de educar. Tapas, tapinhas, belisquinhos e beliscões (principalmente os discretos, por baixo da mesa, sem que ninguém visse…) Essa violência ficou registrada em mim. E quando nos tornamos mãe, usamos os recursos que conhecemos para “impor respeito, limites”. Sempre considerei abusiva a pratica de bater, além de saber que pode virar hábito. Não batia, mas gritava. Já ameacei, puni, já usei de castigo (escondido num lindo nome de “cantinho do pensamento”). A existência dessa violência (em mim) e nas minhas fo [...]

Disciplina Positiva na prática

Título do post

  Sempre comento que a parte mais difícil pra ela entender é que eu amamento o irmão. É também o momento que me sinto mais “sugada” em todos os níveis, tendo que dividir atenção entre os dois, conciliar a fusão de alimentar o bebê e responder as demandas da mais velha que nessa hora aumenta o tom, a voz e a necessidade de ser olhada. Especialmente no final de tarde, que já estou exausta de maternar os dois (sozinha),  o desafio  passa a ser não transferir o cansaço pra eles, pro meu tom, pra minha voz e pra minha necessidade de também ser cuidada. É um exercício [...]

Pai que cria junto

Título do post

Da série: trabalhando com papai!!!!!! Muito gostoso ver quando os dois se integram, se fundem, se entendem… Sempre disse, cheia de orgulho, que aqui em casa o pai ajuda muito!!! Essa semana aprendi que esse conceito de “ajudar” a mãe é mais um machismo arraigado daqueles que a gente nem percebe… o pai não tem que “ajudar muito”… pai tem que criar junto!!!!! Parece uma diferença sutil mas chama mais pra perto essa nova geração de homens que são cada vez mais participativos (trocam fralda, ninam no colinho, alguns até slingam… e se tivessem peito davam de mamá! ) eu sei que eles AMAM ser va [...]

Descobri que amo as mulheres (que escrevem).

Título do post

  Descobri que sou apaixonada pelas mulheres! As que escrevem são minhas favoritas. Pra si mesmas, além de tudo. Se outra pessoa ler, é lucro. Se outra se identificar, é gozo. Mulheres vivas e mortas. Mulheres que escrevem porque não conseguem carregar tantas palavras no coração. Porque a poesia jorra do cotidiano. Só a poesia me salvará do tédio do cotidiano. A poesia ou as drogas. Todas elas… as proibidas e as permitidas. A coca cola, o brigadeiro e o comprimido. Toda forma de recompensa que acalme meu ego inflamado, quase mimado. Meu ego insatisfeito. Meu ego é uma criancinha implorando atenção. Aos dez [...]

Ela que não pensa em ter filhos

Título do post

“Respira. Serás mãe por toda a vida. Ensine as coisas importantes. As de verdade.A pular poças de água, a observar os bichinhos, a dar beijos de borboleta e abraços bem fortes. Não se esqueça desses abraços e não os negue nunca. Pode ser que daqui a alguns anos, os abraços que você sinta falta, sejam aqueles que você não deu. Diga ao seu filho o quanto você o ama, sempre que pensar nisso.Deixe ele imaginar. Imagine com ele. As paredes podem ser pintadas de novo, as coisas quebram e são substituídas. Os gritos da mãe doem pra sempre. Você pode lavar os pratos mais tarde. Enquant [...]