Conversa Materna

0 Flares 0 Flares ×

Na semana passada recebi um convite super legal, falar sobre ser mãe jovem no grupo fechado dos Calçados BIBI no face, conhece? http://bit.ly/grupominhavidaanda

bibi

 

Eu amo esse tipo de grupo onde podemos trocar nossas experiências e questionamentos. Foi tão gostoso conversar por duas horas com outras mães que resolvi copiar as melhores falas aqui por blog pois acredito que são parte do questionamento da maioria de nós.

“A maternidade mudou completamente minha vida, meus caminhos, minhas escolhas e principalmente minha relação com tempo, com as prioridades. Foi muito complicado num primeiro momento entender e acolher esses sentimentos. Ser mae é um desafio. Ser mãe jovem, ainda mais. O que foi uma surpresa pra você na maternidade? o que foi diferente da sua idealização ou dos seus conceitos???? Qual seu maior desafio como mãe?”

Claro que falamos dos desafios de conciliar a volta ao trabalho com a maternidade, de como a realidade da maternidade foi diferente pra todo mundo e principalmente como é difícil manter a paciência no cotidiano.

E o seu maior desafio???

“O que vocês tem feito pra resgatar a autoestima feminina? A mulher que mora aí dentro pra além da mãe dedicada atenciosa e presente? Ser mãe jovem fez com que essa contradição fosse ainda mais gritante. É um desafio encontrar espaço pra mulher que fomos (e somos) se expressar. Como ela surge em meio ao cansaço, às noites mal dormidas, à todas as abnegações? Vamos trocar dicas? Eu por exemplo percebi que colocar uma música alta me faz muito bem. Cantar alto músicas que eu gosto e não só as músicas infantis que roubaram todos os aparelhos de sons e dvds da casa… rsrsrs A criança é mais feliz quando percebe sua mãe feliz. E nós somos mais felizes e realizadas quando achamos o espaço dessa mulher surgir com força, leveza e liberdade dentro da gente. Faz sentido???”

Esse post animou a mulherada que abriu o coração pra questionar o que realmente gerava uma boa autoestima. Algumas falaram em fazer unha, depilação, que eu entendo como uma forma de ter um tempo para si. Adoraram a idéia da música que eu uso inclusive em momentos de gatilhos de explosão… rs ponho a casa toda pra dançar ao invés de sair por aí perdendo a paciência (em dias de sorte, dá certo… rs)

IMG_20150507_214618

 

 

“A maternidade me trouxe um processo de autoconhecimento profundo, diário. Encarar meus medos, encarar minhas contradições e frustrações pelo caminho transmutando tudo em amor incondicional. Eu percebi que pra exercer uma maternidade mais livre de crenças limitantes e antigas eu precisava curar processos do bebê que fui, da criança que fui e da mulher que sou. Percebi por exemplo que pra oferecer pros meus filhos uma educação baseada no amor e na gentileza, precisaria curar minha relação com autoritarismo ou com a violência emocional e verbal. Fui de uma geração onde formas mais violentas de educar eram incentivadas. Curar esses processos e buscar formas mais criativas não pautadas no medo, na ameaça, no castigo por exemplo foi um desafio libertador pra mim como mãe.”

 

O que você precisou abandonar ou curar pra poder ser melhor, não que outras mães porque essa comparação não existe, mas melhor do que você mesma? É importante nos libertarmos de antigos modelos de maternidade e acharmos nossa própria voz, o que funciona na NOSSA vida, nesse tempo e nesse espaço, e esse processo de diferenciação é complexo mas necessário pro nosso poder e nossa autoestima como mãe. Achar a mãe que somos ao invés de repetir padrões que não concordamos. Faz sentido?

 

CL 0106 Carol+Bruna+Theo

 

Foi um dia lindo de conversa materna virtual. Agradeço a todas que contribuíram com suas histórias e questionamentos. Sempre aprendo muito ouvindo outras histórias e experiências. É muito importante nesse processo de maternidade termos uma rede de apoio, de confiança, de troca e de amor mesmo que virtual. Desde a gravidez até o pós parto, dividir nossas histórias, nossos questionamentos e emoções é poderoso demais. Amo a frase “é preciso uma aldeia inteira pra cuidar de uma criança” e é verdade… Achar nossa voz, validar nossas escolhas, mas sempre ouvindo outras experiências é muito enriquecedor porque nos questiona e nos dá força ao mesmo tempo!!!!!

 

Agradeço a essa rede de apoio que estamos construindo com empatia, sororidade, respeito às escolhas diferentes na forma de maternar, na certeza de que não há espaço pra julgamentos porque não há “certo” ou “errado” há escolhas diferentes e que elas sejam tomadas com maior nível de consciência possível. Não há como ser uma mãe melhor que outra mãe. Há como ser uma mãe melhor do que fui antes, mais consciente, mais paciente, mais presente e mais atenta ao amor incondicional!!!!

 

Para acompanhar todos os posts e os depoimentos de outras mães blogueiras é só entrar aqui: http://bit.ly/grupominhavidaanda

Agradeço a toda equipe BIBI pela confiança!!!!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Pin It Share 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×