Posts da Categoria: Ela por Ela

Aquilo que um homem procura em uma mulher

Título do post

Minha primeira fossa de amor, antes dos 8, curti ao som de Leandro e Leonardo naquele famoso CD da década de 90. Aquele da montagem (hoje tosca) de cada um olhando pro lado…           Esse texto passa longe de criticar ou julgar o sertanejo, porque hoje sei da importância de acolher / fazer as pazes com minhas raízes. Até mesmo pra quebrar com elas com mais sabedoria, menos rancor. Acontece que minha mãe passava os dias ouvindo esse tipo de música e eu acabava ouvindo também. Durante toda infância / adolescência. Tão década de noventa!!!! Retomando, Minha primeira fossa de amor curti ao som d [...]

Descobri que amo as mulheres (que escrevem).

Título do post

  Descobri que sou apaixonada pelas mulheres! As que escrevem são minhas favoritas. Pra si mesmas, além de tudo. Se outra pessoa ler, é lucro. Se outra se identificar, é gozo. Mulheres vivas e mortas. Mulheres que escrevem porque não conseguem carregar tantas palavras no coração. Porque a poesia jorra do cotidiano. Só a poesia me salvará do tédio do cotidiano. A poesia ou as drogas. Todas elas… as proibidas e as permitidas. A coca cola, o brigadeiro e o comprimido. Toda forma de recompensa que acalme meu ego inflamado, quase mimado. Meu ego insatisfeito. Meu ego é uma criancinha implorando atenção. A [...]

Ela e seus problemas pra digerir

Título do post

    E o que ela poderia fazer com aquele nó na garganta? Meio entalado. Mal engolido…. Digerir nunca foi sua especialidade!!! Demorava anos processando  nós antigos… E mesmo depois de um tempo, regurgitava aquilo que ela nem imaginava ainda não ter sido processado. Ela nunca foi muito boa na digestão. Por isso, talvez, a gordura. E a sujeira. E a solidão. Ela colecionava coisas antigas e paixões mal resolvidas. Ela gostava da segurança de sempre ter pra onde correr. Mesmo que não fosse acolhida. Seus processos eram lentos, duros… Apegava-se até a tristeza, ou aquilo que não a fazia [...]

Meus 25 anos

Título do post

Sempre tive a intuição que minha vida mudaria aos 25. Sempre me imaginei MAGRA aos 25… mas parece que agora estou bem distante disso (ainda faltam 11 meses e 30 dias rs). Há dois anos e meio a permissão de me tornar mãe, assim tão de surpresa, me tirou de um lugar comum, de risadas histéricas e estéreis. Da superficialidade do meu ser. Com a primeira gravidez e amamentando Bruna Luz até um ano, achei que já tinha aprendido tudo, que tinha sido a mãe mais completa e poderosa! Os desafios com ela estavam só começando. Hoje, aos 25, posso dizer que a vida se comunica a cada instante comigo, na verdade ela se [...]

Lembrar de não me grudar ao meu corpo

Texto de 2010… mas os questionamentos ainda passam por aí… Lembrar de não me grudar ao meu corpo! Não esquecer que essa casca que envolve meu espírito, minha parte divina, é finita. É cíclica e não eterna. Esse meu corpo eu devolvo pra terra. Essa energia material eu reciclo. E retorno, e retorno. Não sou esse corpo. Sou o além desse corpo. Sou sua parte imaterial, sou sua parte abstrata e inatingível. Sou para o infinito de suas subjetividades. Não sou o cheiro desse corpo. O cheiro como produto do meu ser é um estado vulnerável de mim. Meu corpo é onda. É ciclo. É terra [...]

Sororidade

Perguntas para as mulheres… Em que momento? Em que momento inventaram que competíamos e acreditamos? Em que momento nos incitaram a inveja das outras e mordemos a isca? Quando começaram a nos vender a idéia da mulher segregada de outras fêmeas? Quem ganha com esse racha no feminino? Qual momento nos dividiram entre poderosas e recalcadas? Porque acreditamos? Porque essa virou “nossa” dança? Porque (e pra quem) é tão importante que as mulheres não se unam? Não se empoderem? Não troquem experiências, e aquelas longas conversas de almas? Quem ganha quando “nossa” futilidade é estimulada? Ou qua [...]